O Dia Europeu Sem Carros tem como finalidade incentivar a utilização de meios de transporte que sejam mais amigos do Ambiente.

A vida de hoje é muito intensa, exigindo velocidade para se ter mais em menos tempo. Esta Caminhada teve, por analogia com a proteção do Dia Europeu Sem Carros, o fito de trazer o prazer de caminhar pela zona urbana da Cidade em que vivemos, aliando o conhecimento e a descoberta ao prazer da marcha, juntou duas dezenas de participantes.

A expansão urbana de vila de Almeirim teve o seu início com a construção do Paço Real, feita por ordem do Rei D. João I.

As cheias regulares do rio Tejo, causavam problemas à passagem da comitiva real, quando se dirigia à charneca a sul de Santarém, para as suas caçadas.

Com a edificação do Paço surgiu igualmente a construção de casas para moradia dos que acompanhavam o Rei.

Verifica-se que no decorrer dos séculos XV a XX, houve grandes transformações na área ocupada pelos moradores. O que podemos verificar, no nosso tempo, é o traçado das ruas que se criaram à medida que foi aumentando o número de moradores e, com eles, a construção de novas moradias.

No ano de 1888, com a configuração dos aumentos da vila, o vereador Bernardo Gonçalves propõe à Câmara a construção de uma rua com 10 metros de largura, que começaria no sítio das Milheiras e terminaria na rua de Coruche. Primeiro denominada como rua do Matadouro, passou posteriormente a designar-se por rua Bernardo Gonçalves.