Pese embora seja hoje comum ouvir-se que nunca se atravessou um período com tantas melhorias na qualidade de vida como no presente e que por esse mundo fora vários milhões de pessoas saíram da pobreza, o facto é que:

  • um em cada nove habitantes do planeta (cerca de 800 milhões de pessoas) continuam a não ter acesso a comida suficiente;
  • 60% destes são do sexo feminino;
  • 70% dos mais carenciados residem em áreas rurais e dependem da agricultura para a sua sobrevivência.

 

Rotary tem procurado contrariar a este quadro pouco satisfatório, em zonas da América Latina e de África, mediante programas orientados para:

  1. a interrupção do ciclo de probreza das mulheres através de acções de formação na área da economia familiar e do acesso a linhas de micro-crédito;
  2. a formação profissional e o apoio na criação do próprio emprego;
  3. a formação no campo da agricultura sustentável;

numa tentaiva para melhorar as competências e a entreajuda nas comunidades.

Estes serão pequenos passos mas de grande efeito nas comunidades que deles têm beneficiado.